Ave João-Bobo no Cerrado

 .
 .
 .

João-Bobo, o pássaro que finge de morto

.

João-Bobo, não há diferença física entre o macho e a fêmea - fotografia de Paula Sanson
A máscara na cabeça é marcante para observadores
  • Reino: Animalia 
  •  Filo: Chordata : 
  • Aves Ordem: Galbuliforme 
  • Família: Bucconidae 
  • Gênero: Nystalu
  • Espécie: N. chacuru


João-Bobo (Nystalus chacuru) é uma ave galbuliforme da família dos buconídeos, encontrada do norte do Brasil ao nordeste da Argentina com grande ocorrência no Cerrado do Centro Oeste, também conhecida por dormião, joão-tolo e apara-bala.
 Mede cerca de 18 centímetros. A cabeça é grande em relação ao corpo, com os tons negros e cinza amarronzados fazem forte contraste as áreas brancas ao redor do olho e bico, de cor avermelhada.

João-Bobo caçou  uma largato para  a refeição do dia - fotografia de Beltrando Campos
Permanece imóvel durante longo tempo, mudando de vez em quando apenas de lado e virando a cabeça mostrando que tudo observa, não é "bobo" como dizem, apenas confia no seu mimetismo .
Quando é apanhado vivo finge de morto para fugir inesperadamente. O seu voo é rápido e horizontal, percorre apenas distâncias curtas. Vivem periodicamente em pequenos grupos que constituem aparentemente em famílias; pernoitam pousados em galhos, encostando um no outro.
Alimentam-se de insetos e pequenos vertebrados, como lagartos, pererecas e pequenos mamíferos. Apanham suas presas esperando por sua passagem a partir de um poleiro nas galhadas dos cerrados, borda de cerradão e mata ou dando pequenos voos para capturá-los, em ida e volta. 

Joâo-Bobo construindo o ninho num barranco- fotografia de Vinicius Pontello
O casal faz o ninho no solo escavando em barrancos naturais, beiras de estradas, e em cupinzeiros sujando o bico, pés e pernas, o que altera um tanto seu colorido natural. Perfura uma galeria de cerca de 40 cm no fim da qual escava ampla panela, onde são depositados alguns gravetos e talos de folhas secas onde a fêmea põe de 2 a 3 ovos e o período de incubação é de 19 a 21 dias. A entrada dos ninhos é camuflada pela vegetação ao redor e pelo hábito de espalharem a terra vinda da escavação. Na entrada da galeria, geralmente de formato ovalado como um buraco de lagarto, é possível ver o rebaixamento produzido pelos pés das aves ao entrarem e saírem dos ninhos.

Familia  de João-Bobo - um adulto e dois filhores que ainda não possuem coloração vermelha nos bicos-fotografia de Claudio Girotto
Família
Não diferenças físicas entre o macho e a fêmea, o casal reveza-se para cuidar do ninho. O João-Bobo canta harmoniosamente, mas de uma forma dissimulada, bem fina, bem baixa - como se fosse o barulho de morcegos. Sua música quase só é percebida pela fêmea.
Macho e fêmea (podem cantar) respondendo-se mutualmente. Chamam atenção, pois não param de cantar mesmo à noite. 
 Ouça seu canto
.


Fotografias de :Paula Sanson, Beltrando Campos, Vinicius Pontello, Claudio Girotto
.
.
 Você conhece o Urutau? É um pássaro também é chamado de ave-fantasma que passa o dia inteiro imóvel nos galhos ou num mourão de cerca e consegue obter uma camuflagem impressionante de acordo com o local onde ele pousa. Vai lá e veja sua completa imobilidade.

Clique na imagem e chega até ele. 
.
.

0 comments:

Obrigada por sua presença no Caliandra do Cerrado.
Espero que esse espaço tenha sido útil para você. Os artigos apresentados são frutos de pesquisas e informações colhidas na web, artigos acadêmicos, livros que após um estudo coerente entre as informações que mais se igualam sobre os temas, são selecionados para as postagens.
.

Fique a vontade e se puder deixe seu comentário. Um abraço

Elma