Ave João-Bobo no Cerrado

 .
 .
 .

João-Bobo, o pássaro que finge de morto

.

João-Bobo, não há diferença física entre o macho e a fêmea - fotografia de Paula Sanson
A máscara na cabeça é marcante para observadores
  • Reino: Animalia 
  •  Filo: Chordata : 
  • Aves Ordem: Galbuliforme 
  • Família: Bucconidae 
  • Gênero: Nystalu
  • Espécie: N. chacuru


João-Bobo (Nystalus chacuru) é uma ave galbuliforme da família dos buconídeos, encontrada do norte do Brasil ao nordeste da Argentina com grande ocorrência no Cerrado do Centro Oeste, também conhecida por dormião, joão-tolo e apara-bala.
 Mede cerca de 18 centímetros. A cabeça é grande em relação ao corpo, com os tons negros e cinza amarronzados fazem forte contraste as áreas brancas ao redor do olho e bico, de cor avermelhada.

João-Bobo caçou  uma largato para  a refeição do dia - fotografia de Beltrando Campos
Permanece imóvel durante longo tempo, mudando de vez em quando apenas de lado e virando a cabeça mostrando que tudo observa, não é "bobo" como dizem, apenas confia no seu mimetismo .
Quando é apanhado vivo finge de morto para fugir inesperadamente. O seu voo é rápido e horizontal, percorre apenas distâncias curtas. Vivem periodicamente em pequenos grupos que constituem aparentemente em famílias; pernoitam pousados em galhos, encostando um no outro.
Alimentam-se de insetos e pequenos vertebrados, como lagartos, pererecas e pequenos mamíferos. Apanham suas presas esperando por sua passagem a partir de um poleiro nas galhadas dos cerrados, borda de cerradão e mata ou dando pequenos voos para capturá-los, em ida e volta. 

Joâo-Bobo construindo o ninho num barranco- fotografia de Vinicius Pontello
O casal faz o ninho no solo escavando em barrancos naturais, beiras de estradas, e em cupinzeiros sujando o bico, pés e pernas, o que altera um tanto seu colorido natural. Perfura uma galeria de cerca de 40 cm no fim da qual escava ampla panela, onde são depositados alguns gravetos e talos de folhas secas onde a fêmea põe de 2 a 3 ovos e o período de incubação é de 19 a 21 dias. A entrada dos ninhos é camuflada pela vegetação ao redor e pelo hábito de espalharem a terra vinda da escavação. Na entrada da galeria, geralmente de formato ovalado como um buraco de lagarto, é possível ver o rebaixamento produzido pelos pés das aves ao entrarem e saírem dos ninhos.

Familia  de João-Bobo - um adulto e dois filhores que ainda não possuem coloração vermelha nos bicos-fotografia de Claudio Girotto
Família
Não diferenças físicas entre o macho e a fêmea, o casal reveza-se para cuidar do ninho. O João-Bobo canta harmoniosamente, mas de uma forma dissimulada, bem fina, bem baixa - como se fosse o barulho de morcegos. Sua música quase só é percebida pela fêmea.
Macho e fêmea (podem cantar) respondendo-se mutualmente. Chamam atenção, pois não param de cantar mesmo à noite. 
 Ouça seu canto
.


Fotografias de :Paula Sanson, Beltrando Campos, Vinicius Pontello, Claudio Girotto
.
.
 Você conhece o Urutau? É um pássaro também é chamado de ave-fantasma que passa o dia inteiro imóvel nos galhos ou num mourão de cerca e consegue obter uma camuflagem impressionante de acordo com o local onde ele pousa. Vai lá e veja sua completa imobilidade.

Clique na imagem e chega até ele. 
.
.

2 comentários:

  1. Gostei muito da reportagem sobre o pássaro que ouvem em Pinheiral/RJ. Próximo as ruínas da escola agrícola.

    ResponderExcluir

Obrigada por sua presença no Caliandra do Cerrado.
Espero que esse espaço tenha sido útil para você. Os artigos apresentados são frutos de pesquisas e informações colhidas na web, artigos acadêmicos, livros que após um estudo coerente entre as informações que mais se igualam sobre os temas, são selecionados para as postagens.
.

Fique a vontade e se puder deixe seu comentário. Um abraço

Elma