A seca e o fogo no Cerrado

.
.


Na natureza nada é em vão

.
Na região de Cerrado do Brasil Central, cerca de 90% das chuvas caem entre os meses de outubro e abril, ou seja, nós que moramos por aqui convivemos com a sazonalidade  hídrica. Algumas espécies de plantas dependem do vento e também de ambiente seco para espalhar as suas sementes.

Paisagem do Cerrado na estação seca promove belas silhuetas 
 Agora, olhando para baixo, as raízes das plantas desempenham um papel importante e muitas vezes negligenciado, simplesmente por não poderem ser vistas. As camadas de solo superficiais podem secar pela falta de chuvas, mas algumas árvores têm acesso à água mesmo no auge da estação seca, pois suas raízes alcançam grandes profundidades.

Algumas espécies de plantas dependem do vento e também de ambiente seco para espalhar as suas sementes. 
Este processo é importante para que os indivíduos possam desbravar novos ambientes, aumentando a abrangência de suas populações. Ou seja, para estas espécies, que são conhecidas com anemocóricas, a ausência de chuvas é condição necessária para a manutenção de suas populações. Até o formato das sementes, ou dos frutos, são especiais para se favorecerem do vento e da seca. Se chover enquanto estas espécies estão em fase de reprodução, os frutos podem nem abrir, pois o ambiente seco é condição para a desidratação das paredes do fruto e sua abertura. 
.
A vegetação do Cerrado necessita da estação seca para difundir suas sementes. 
 Uma preocupação no período seco é o fogo. Porém, as espécies vegetais do Cerrado apresentam várias adaptações que as permitem contornar este problema, por exemplo, a presença de casca grossa e cortiçosa. O próprio fogo pode trabalhar a favor do Cerrado, quando ele auxilia no processo de abertura dos frutos, facilitando a reprodução das plantas. 

Portanto, seja pela sua importância no funcionamento do Cerrado, ou pela beleza proporcionada pelos seus componentes durante a estação seca, só podemos chegar a uma conclusão: deixa secar.
.

Como a natureza sabe, sem diversidade não existe evolução. ( Isaias Raw )

.
 
Parte do texto de Alexandre de Siqueira Pinto  pesquisador e colaborador pleno junto ao programa de pós-graduação em Ecologia, do Departamento de Ecologia, da Universidade de Brasília. Possui Graduação em Ciências Biológicas e Mestrado e Doutorado em Ecologia, todos pela Universidade de Brasília.


Fotos:Elma Carneiro

.

0 comments:

Obrigada por sua presença no Caliandra do Cerrado.
Espero que esse espaço tenha sido útil para você. Os artigos apresentados são frutos de pesquisas e informações colhidas na web, artigos acadêmicos, livros que após um estudo coerente entre as informações que mais se igualam sobre os temas, são selecionados para as postagens.
.

Fique a vontade e se puder deixe seu comentário. Um abraço

Elma