Nossos irmãos índios


A necessidade do homem de explicar os mistérios da vida e da natureza que o cerca, gera, através de séculos, as mais belas lendas. Quanto mais rica a cultura de um povo, maior o número de lendas inspiradoras que justificam os seus costumes e tradições milenares.


Dos cinco milhões de índios da época do descobrimento, existem atualmente cerca de 345 mil representando 0,2% da população brasileira. segundo a FUNAI - Fundação Nacional do Índio.

.
"A primeira Missa no Brasil" obra de Victor Meireles - 1860 - Museu Nacional de Belas Artes

“Para a realização dessa cerimônia dois carpinteiros trouxeram da mata um enorme tronco de madeira, destinado a feitura da cruz, enquanto os demais tripulantes abasteciam os barcos com água, frutas e lenha. Os índios, uns oitenta ou mais, se amontoavam ao redor dos portugueses, e apreciavam pasmos, o que o fio das ferramentas de ferro provocava na árvore. Os nativos, dóceis, se portaram de tal modo que o escrivão Pero Vaz de Caminha convenceu-se de que no futuro a conversão deles seria mais fácil, e por isso escreveu ao rei prevendo que "dois bons padres, apenas, seriam suficientes para o cumprimento dessa missão.
Fernando Kitznger Dannemann .



Os portuguêses rezavam a missa em latim para os índios


Durante muitos anos, a igreja fazia a missa em latim. Os índios não falavam português, e nem latim.

A presença dos índios no território brasileiro é muito anterior ao processo de ocupação estabelecido pelos exploradores europeus que aportaram em nossas terras. Segundo os dados presentes em algumas estimativas, a população indígena brasileira variava entre três e cinco milhões de habitantes. Entre essa vasta população, observamos o desenvolvimento de civilizações heterogêneas entre as quais podemos citar os xavantes, caraíbas, tupis, jês, e guaranis.
.

Ação dos Jesuítas: Catequese

O Santo(?) Inácio de Loyola



.
Os jesuítas foram fundados no seguimento da reforma Católica (também chamada Contra-Reforma), um movimento reacionário à Reforma Protestante cujas doutrinas se tornavam cada vez mais conhecidas através da Europa, em parte graças à recente invenção da imprensa. Os Jesuítas pregaram a obediência total à doutrina da igreja católica, tendo Inácio de Loyola declarado:
.
"Acredito que o branco que eu vejo é negro, se a hierarquia da igreja assim o tiver determinado".
.
Inácio de Loyola (que virou santo) e Padre Anchieta que tornou-se o principal catequizador dos índios brasileiros
Nos aldeamentos jesuíticos os índios eram educados para viver como cristãos. Essa educação significava uma imposição forçada de outra cultura, a cristã. Os jesuítas valiam-se de aspectos da cultura nativa, especialmente a língua, para se fazerem compreender e se aproximarem mais dos indígenas. Esta ação incrementava a destribalização e violentava aspectos fundamentais da vida e da mentalidade dos nativos, como o trabalho na lavoura, atividade que consideravam exclusivamente feminina.

O tupi era a língua indígena mais falada no tempo do descobrimento do Brasil, em 1500. Teve sua gramática estudada pelos padres jesuítas, que a registraram. Era também chamada de língua Brasílica. Os europeus acreditavam que o trabalho braçal denegria o caráter e a importância da pessoa. Por isso, recusavam-se a trabalhar na terra e no artesanato. No Brasil, não foi diferente. Os colonizadores associaram imediatamente o trabalho à ausência de liberdade, ou seja, à escravidão.


Índios: recusa a escravidão

.
Os indígenas foram os primeiros escravos do Brasil. A partir de 1570, a Coroa começou a tomar medidas para impedir essa escravização, ao mesmo tempo que incentivava a importação de africanos. Em 1758, Portugal determinou a libertação definitiva dos índios. Vários motivos influenciaram essa decisão:

  • Os índios resistiam à escravização, guerreando, fugindo ou negando-se a trabalhar.
  • Os indígenas não resistiam às doenças dos brancos, como sarampo, varíola e gripe. Morriam aos milhares.
.
Índios dizimados: Entre 1562 e 1563, por exemplo, mais de 60 mil índios foram dizimados por duas epidemias de varíola, conhecidas como a ‘peste de bexigas’.

A extinção de suas línguas é um dos exemplos mais claros de ameaça à sobrevivência dos povos indígenas.

Quando uma língua falada desaparece, morre um povo, uma cultura, uma sabedoria


.
O folclore dos índios brasileiros perdeu, com a civilização cristã imposta a eles, muitos dos seus rituais e muitas de suas crenças, por isso, as suas lendas estão cada vez mais mescladas com as lendas catequizadoras trazidas pelos homens brancos.

.
“Nenhum elemento externo jamais deve ser imposto a uma cultura. Toda imposição pressupõe carência de respeito humano e cultural, além de grave erro na construção do diálogo. Assim, a catequese histórica e impositiva bem como qualquer outro elemento que force a mudanças não desejadas, mesmo em áreas como educação, saúde e subsistência, devem ser duramente criticadas. Por outro lado é respeito cultural conceber ao indígena, o direito de realizar escolhas, voluntárias e desejadas, dentro de seu próprio bojo cultural” Roberto Cardoso de Oliveira


Leia mais no: Manifesto da AMTB - Associação de Missões Transculturais Brasileiras.

"Em vez de querer ensinar aos índios, o homem branco deveria ter a humildade para aprender com eles que o velho é o dono da história, o homem é o dono da aldeia e a criança é a dona do mundo". Orlando Vilas boas
Criança - em idioma indígena " Curumim"




Fotos: Giselle Vargas - Carlos Levistrauss - José L. L. Borges
Outras:Web

.

10 comentários:

  1. Olá Elma, importantíssima essa tua postagem. E pensar que faz aproximadamente 11 mil anos que a
    Amazônia brasileira foi ocupada e que seus primitivos habitantes adquiriram ao longo do tempo um conhecimento profundo da região,dominando as adversidades da selva,criando e desenvolvendo uma cultura riquíssima,cultivando a mandioca,criando uma arte belíssima com seus trabalhos em cerâmica policromática, como a cerâmica marajoara. Segundo o escritor Alberto Mussa "há muitos indícios de que os povos da floresta influenciaram profundamente a vida de outras populações ameríndias, estendendo sua penetração intelectual até os Andes, antes que surgissem as 'evoluídas' civilizações andinas".
    Estudar a cultura indígena é resgatar a nossa verdadeira origem, porque, queiramos ou não, são os nossos ancestrais! Estaremos resgatando nossa própria cultura e, por conseguinte,nos conhecendo muito mais.
    Parabéns mesmo. Lindo o teu trabalho.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Como é bom passar por aqui! Me delicío com a beleza das imagens e aprendo um pouco mais com as preciosas informações.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Elma, a acolhida que os índios brasileiros ofereciam aos estrangeiros foi os que os perdeu, eles "abriam as portas" sem desconfiar. Mas eram povos orgulhosos, não se submetiam à escravidão. Realmente é um absurdo querer impor uma cultura à outra, todos os povos devem ter opções em relação a seu modo de vida. Teu post esta muito rico, tanto no texto, como nas imagens.
    Em relação ao comentário do Giramundo, evidências científicas (soube por um comunicado da FAPESP) mostram que houve uma civilização muito adiantada na Amazônia, que enriquecia o solo e que desapareceu sem deixar "pegada ecológica", deixando como vestígios somente pedaços de cerâmica e a fértil "terra preta", que atualmente não se consegue mais reproduzir.
    Beijos e parabéns pelo post.

    ResponderExcluir
  4. ELMA,
    ESSA SEQUENCIA DE FOTOS DE CRIANÇAS INDÍGENAS É DE UMA BELEZA ESTONTEANTE...
    e CONCORDO PLENAMENTE COM ORLANDO VILAS BOAS. o HOMEM BRANCO DEVERIA APRENDER COM OS ÍNDIOS E NÃO IMPOR SUA CULTURA A ELES, OS VERDADEIROS DONOS DAS TERRAS BRASILEIRAS... E SABEM PQ DENOMINARAM ESSES POVOS PRIMITIVOS DE ÍNDIOS? PQ PENSAVARAM QUE HAVIAM CHEGADO AS ÍNDIAS... FIZ UM TEXTOS PARA OS ÍNDIOS NO VIDAS LINHA, VC VIU?
    PROCURE NO ARQUIVO DO BLOG:
    http://www.blogger.com/post-edit.g?blogID=4673374551355486067&postID=2839284206036881132

    LEIA ESTE TEXTO ACIMA...
    EU GOSTEI MUITO DELE...
    BJOS

    ResponderExcluir
  5. Elma, cliquei no selinho. È só clicar e pronto? ´Tá dado o voto. Não sabia que estavas "concorrendo". Boa sorte!
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Elma, um ótimo post bem informativo e com imagens de indiozinhos muito lindas!

    Já votei em você.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  7. Elma! Deu certo!!!Ulalaá, até que enfim. Obrigadão, amiga. Agora não tem mais "desculpas", viu? As atualizações estão aí, dos dois...nem tô acreditando..ufa!

    ResponderExcluir
  8. Caliandra, belo blog: uma luta, um caminho de re-tomada da vida , loge da destino opressivo que suprime, oprime e nega a vida e sua diversidade.Abraços com carinho e felicitações pela sua luta; jorge bichuetti
    Do blog utopia ativa:
    www.jorgebichuetti.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. MARAVILHA... ADOREI PASSAR E CONHECER. OBRIGADO.pARABENS!

    ResponderExcluir

Obrigada por sua presença no Caliandra do Cerrado.
Espero que esse espaço tenha sido útil para você. Os artigos apresentados são frutos de pesquisas e informações colhidas na web, artigos acadêmicos, livros que após um estudo coerente entre as informações que mais se igualam sobre os temas, são selecionados para as postagens.
.

Fique a vontade e se puder deixe seu comentário. Um abraço

Elma